O carro do futuro e o sistema de exaustão.

O carro do futuro e o sistema de exaustão.

A invenção do automóvel trouxe conforto e agilidade para nossas vidas. Através dele, barreiras físicas foram superadas, facilitando a relação entre pessoas. Com o passar do tempo, novos propulsores estão sendo desenvolvidos, aumentando cada vez mais o rendimento dos automóveis. Com isso, surge uma dúvida, como será o carro do futuro e o que isso impactará no sistema de exaustão?

Primeiramente, precisamos entender que o carro do futuro terá uma grande eficiência energética. Ou seja, ele possuirá um bom desempenho e não consumirá muita energia, sendo o mais ecológico possível.

Atualmente, fala-se muito do carro elétrico e sua energia limpa. Por não gerar gases poluentes, este tipo de automóvel não precisa nem de escapamento para funcionar, entretanto, além de possuir uma baixa autonomia, sua energia vai ser “limpa”, apenas se a fonte de energia elétrica também for. Por exemplo, na Europa, a maioria das usinas são movidas a carvão, fazendo com que o carro elétrico polua tanto quanto um convencional. Dessa forma, enquanto não adotarmos fontes totalmente “verdes”, os carros elétricos não serão uma alternativa totalmente ecológica.

Outra possibilidade são os carros híbridos, no qual contém todos os componentes de um carro a combustão, motor, sistema de escapamento, mas possuem também um motor elétrico. Nesse sistema, tem se o melhor dos dois mundos: além do consumo de combustível diminuir, sua autonomia aumenta. Mas como nada é perfeito, os híbridos possuem desvantagens, como o peso elevado e as matérias-primas pouco sustentáveis.

Neste sentido, a utilização de biocombustíveis, como biodiesel e o etanol, também são uma opção de fontes de energia renováveis. Eles são obtidos a partir de elementos naturais, como a cana-de-açúcar e o milho. Assim, o gás carbônico gerado pela combustão dos automóveis é consumido pelas próprias plantas que produzem o biocombustível. Em contra partida, as plantações exigem grande consumo de água para irrigação e fertilizadas, que podem contaminar os lençóis freáticos.

Uma das alternativas que parecem mais viáveis para o futuro são carros movidos a hidrogênio. Esse automóvel, que inclusive já existe, possui uma célula de combustível, que, através da reação do oxigênio com o hidrogênio, produz sua própria energia, dispensando o uso baterias. O resultado disso é água saindo pelo escapamento.

O mercado automotivo não para de evoluir, assim como a tecnologia, por isso, acompanhamos a fundos os avanços do segmento, sempre aprimorando nossos sistemas para garantir a satisfação de nossos clientes.